Autores

Brasil e Moçambique assinaram, no dia 30 de março de 2015, em Maputo, um Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos (ACFI). A assinatura do ACFI tem o objetivo de alavancar a internacionalização de empresas entre os dois países, ao oferecer maior segurança para os investidores nos países signatários. Moçambique é o primeiro país com o qual o Brasil assinará esse modelo de ACFI, que foi elaborado pelo governo brasileiro, em consulta com o setor privado, e que deverá ser também negociado com outros países africanos.

O ACFI atende a necessidades específicas dos investidores, contudo, também respeita o quadro regulatório dos países receptores dos investimentos. Ele possui como cláusulas principais as que estabelecem: governança institucional; mecanismos de execução dos seus objetivos; e, mecanismos para mitigação de riscos e para prevenção e solução de controvérsias. Entre os principais elementos do novo Acordo estão também: a nomeação dos pontos focais (ombudsmen) para contato institucional; a criação de um Comitê Conjunto para o seu monitoramento e implementação; e, a estipulação de agenda com assuntos específicos para cooperação e facilitação de investimentos. Dentre os assuntos prioritários da agenda, pode-se destacar: facilitação da concessão de vistos de negócio para os nacionais dos dois países; facilitação e agilidade nos procedimentos para emissão de documentos, licenças e certificados afins, necessários para o estabelecimento e manutenção dos investimentos; cooperação em matéria de legislação setorial e intercâmbios institucionais; e, cooperação entre as respectivas autoridades financeiras para facilitar a remessa de divisas e capitais entre os países.

A relação comercial entre os dois países, que são os mais populosos dentre os de língua portuguesa, tem crescido exponencialmente na última década, tanto por meio do comércio, como por meio de investimentos. Os investimentos brasileiros em Moçambique, executados ou previstos, ultrapassam o montante de US$ 9,5 bilhões, segundo o Ministério das Relações Exteriores (MRE), colocando o Brasil entre as principais fontes de investimentos internacionais no país africano. Os principais projetos brasileiros em Moçambique estão associados às áreas de mineração, energia, construção & engenharia, agricultura e serviços.